Transforme Dia Nublado em Dia de Sol

Sair para fotografar em uma locação externa é um convite para desafios. Diversas surpresas podem acontecer, e isso pode requerer inúmeras habilidades dos fotógrafos para contornar as situações e garantir o sucesso do trabalho. Entre todas as peças que formam esse composto, que chamamos de ensaio fotográfico, a iluminação é peça fundamental e deve estar

Sair para fotografar em uma locação externa é um convite para desafios. Diversas surpresas podem acontecer, e isso pode requerer inúmeras habilidades dos fotógrafos para contornar as situações e garantir o sucesso do trabalho.

Entre todas as peças que formam esse composto, que chamamos de ensaio fotográfico, a iluminação é peça fundamental e deve estar no controle do fotógrafo. Cabe à ele, e espera-se unicamente dele, que esteja pronto e capacitado para resolver situações que envolvam a iluminação do ensaio, pois essa é sua expertise.

Você fotógrafo, pode não saber como retocar uma maquiagem que não ficou ao gosto do cliente, mas deve saber como aproveitar ou produzir a iluminação dentro de uma casa escura, por exemplo. Você pode ter poucas habilidades para sugerir produções para sua cliente vestir, mas deve saber como fotografar sob sol direto e produzir boas fotos. Também pode ter limitações em diversos sentidos, mas deve saber fazer as fotografias que seu cliente espera, sob qualquer condição.

Nesse composto de responsabilidades importantes de um fotógrafo, eu incluo, saber orientar seu cliente, antes mesmo do ensaio, sobre qual local ou horário podem ser mais favoráveis para produzir as fotos com o resultado que ele e você desejam. Seja qual for seu estilo ou tipo de fotografia, iluminação deve estar entre as suas especialidades.

Um recurso perigoso

Muitos fotógrafos adotaram o recurso de fotografar sempre em duas ou três locações, em horários pré-definidos, que são horários que eles sabem que oferecem o tipo de situação de luz que eles sabem lidar. Eu vejo dois problemas nesse recurso:

  1. Ao longo do tempo, seu portfólio de fotografias fica perigosamente limitado. Não há nada mais cansativo ou entediante do que ver um portfólio que se repete no tipo de luz, poses, locação. (nesse artigo eu te explico melhor sobre o Fotógrafo Monotema) (linkar para o artigo LUZ, DIREÇÃO, PRODUÇÃO E LOCAÇÃO | VOCÊ DOMINA TUDO NA SUA FOTOGRAFIA?)
  2. Escolher a locação e a hora certa pra chegar nos mesmos locais não te livra de imprevistos. Você pode chegar no local e começar a chover, assim você não poderá usar os ângulos que planejou. Aliás, em épocas de chuva, somos convidados a usar mais locais fechados, o que requer outras habilidades com a iluminação.

Luz Natural X Luz Artificial

Nesse raciocínio é de se esperar que eu fale sobre a necessidade de introduzir o flash ou speedlite no seu set de equipamentos. Isso porque estes equipamentos podem ser luz onde falta, podem gerar sombras onde você não tem, colocar a direção da iluminação onde você quer, podem te ajudar a escolher o que mostrar ou esconder, gerar clima, criar intensidade, tornar mais expressivo, além de te permitir pensar fora da caixa e ser mais criativo.

Muitos fotógrafos resistem à introduzir o flash fora da câmera para seus ensaios. Existem alguns conceitos mal formados ou mal estudados sobre os efeitos que o flash pode trazer na fotografia e sobre como deixar essa luz mais intensa ou mais camuflada com a luz disponível.

Uma nomenclatura importante de abandonar ou desmistificar é a de chamar o flash de luz artificial. Esse nome já vem carregado de uma certa crítica à luz do flash, pois o próprio nome sugere que seu resultado não é natural.

Pensa comigo:  eu afirmo com segurança que, essa divisão importa, unicamente aos fotógrafos. Seu cliente não vai analisar uma foto sua querendo saber onde existe flash ou onde existe luz ambiente. Luz é luz. O flash é o seu recurso para trazer a luz como ela deve ser deixada quando precisar recorrer à uma ferramenta que foi feita pra você, justamente com esse objetivo. Para o seu cliente o que importa é se a foto convence/encanta/agrada ou não.

Uma vez que conseguir enxergar o flash como seu aliado e perceber  a importância dele como ferramenta, que te ajuda a resolver desafios técnicos e criativos na sua fotografia, vai começar a ver como o speedlite pode ser seu grande aliado.

Como transformei dia nublado em dia de sol

Voltando ao nosso assunto inicial sobre os desafios de se fotografar em locação, sair para produzir um ensaio fotográfico em um dia nublado, de baixo contraste, tons azulados e frios, pode se tornar um grande desafio quando esse não era o seu objetivo estético naquele trabalho.

Você tem amplas possibilidades dentro do software ou na própria câmera para “esquentar” os tons e simular o aspecto de dia de sol, mas tem algo sobre um dia ensolarado que esse trabalho unicamente com balanço de branco/white não vai te trazer: as altas luzes e densas sombras.

Observe em um dia ensolarado como a luz percorre a paisagem trazendo luz e sombra, contraste, altos brilhos e sombras mais marcadas. Esse efeito é o personagem principal de um dia assim. Sei também que pode ser alcançado através de manipulação fotográfica, mas aqui estaríamos falando em um volume de trabalho digital de qual proporção?

Sei que com algum estudo, certa prática com o flash e algum espaço a mais na bolsa,  você pode carregar essa estética com você pra onde for; diria ainda mais, você pode carregar esse impulsionador criativo para qualquer lugar. É um convite à liberdade de não ter receio mais da situação de luz do dia ou da locação.

Confira no vídeo desse artigo sobre como resolvo esse desafio técnico e criativo, transformando um dia nublado em dia de sol usando o flash fora da câmera!

Boas fotos e até breve!

Decifrando a Luz – Em breve

Curso Avançado de Iluminação

Cadastre-se para saber em primeira mão sobre o meu novo curso online de iluminação.